Blog

Guia para você acertar na hora de escolher o vinho


Guia para você acertar na hora de escolher o vinho

Quem está começando a se aventurar no universo do vinho muitas vezes tem dúvida sobre como escolher o vinho ideal. 

 A cena é clássica: as pessoas saem para jantar em um restaurante, o garçom entrega a carta de vinhos e elas se sentem perdidas, sem saber ao menos por onde começar a pensar.

O medo do desconhecido faz com que elas desistam de beber ou façam sempre a mesma escolha para ter mais segurança.

 Se você se identificou com este caso, está no lugar certo. Neste post, vamos explicar como eleger a garrafa ideal para poder saborear com prazer.

Acompanhe!

Como escolher o vinho?


Selecionar um rótulo exige que o consumidor avalie uma série de fatores para chegar à decisão mais adequada.


Diante disso, listamos todos os aspectos que devem ser observados para fazer uma boa escolha.


Saiba quais são.

1.   Ocasião


O vinho é uma das bebidas mais tradicionais da história da humanidade. Ao longo dos séculos, sempre foi associado a momentos de comemoração e festas.


Em alguns países, faz parte da cultura gastronômica, sendo frequente o seu consumo ao longo do dia.


Cada ocasião exige um tipo de vinho diferente. Entender qual é o momento em que ele será servido é o primeiro passo para guiar a decisão de escolha.


No dia a dia, é possível beber rótulos mais leves, como espumantes e rosés. (Espumante Vino! Brut Rosè, Alento Rosè, Casarena 505 Rose).         


Já no caso de celebrações, como jantares românticos e casamentos, vale analisar o cardápio proposto para avaliar qual é a harmonização ideal


Antes de selecionar uma garrafa, pense qual é o tipo de evento, o seu horário e o clima previsto no dia.



2) Acompanhamento


Normalmente os vinhos são servidos para acompanhar os pratos degustados.


Harmonizar a bebida com o cardápio é essencial para criar uma experiência gastronômica rica e cheia de sabor.


Cada tipo de alimento combina com uma uva específica. Por isso, é recomendado que você passe a pensar primeiro no que vai comer para depois escolher a garrafa ideal.


De forma simplificada, pratos mais gordurosos ou pesados como, por exemplo, massas com queijos amarelos e carnes assadas harmonizam bem com vinhos tintos mais encorpados.


Isso acontece porque os taninos da bebida têm o poder adstringente sobre a gordura na boca, provocando uma experiência completa ao paladar.


Já receitas leves como peixes, frutos-do-mar e pratos vegetarianos tendem a combinar melhor com vinhos brancos frutados ou rosés de corpo médio (Alento Branco, Casa del Lago Sauvignon blanc, Laberinto Sauvignon Blanc, Casarena Ramanegra Chardonnay)       


Isso porque o sabor suave destes vinhos não se sobressai no paladar, permitindo que a pessoa desfrute cada nuance de sabor.



3) País de origem


Muitas pessoas preferem escolher uma garrafa de vinho com base no país de origem. Esse pode ser um bom caminho para quem tem conhecimento das características regionais de cada país.


Cada terroir – palavra francesa sem tradução que está ligada a um conjunto de fatores como solo, clima e método de produção – propicia a criação de um estilo de vinho diferente.


Por isso, há tanta diversidade de rótulos e até mesmo selos regionais de produção.


Os enólogos fazem uma classificação básica de origem: Novo e Velho Mundo. Basicamente, os vinhos do Velho Mundo (Lan Crianza e Elias Mora Toro – Espanha, Castelo Di Bossi Chianti e Brunello Di Montalcino – Itália, Riesling da região de Mosel – Alemanha, Monte Branco – Alentejo – Portugal)  são produzidos na Europa e têm ampla tradição de consumo no mercado internacional. 


Já os vinhos do Novo Mundo (Laberinto Cenizas Pinot Noir, Casarena 505 Esencia Blend – Casarena Ramanegra Reserva Cabernet Sauvignon)  são fabricados em países que não tinham tradição de viticultura, tais como Austrália, África do Sul e Nova Zelândia.


De forma geral, essas bebidas têm perfil mais inovador, sendo comuns processos de produção orgânicos. 




4) Custo-benefício


Há quem selecione uma garrafa em um restaurante ou em um supermercado apenas pelo preço.


Contudo, os especialistas são unânimes ao afirmar que esse critério não deve ser considerado.


Não é porque o vinho é caro que a sua qualidade é garantida. Muitas vezes o valor está ligado não só ao valor percebido do produto, mas também a carga de impostos aplicadas sobre a importação.


Da mesma forma, um rótulo muito barato nem sempre terá boa procedência. 


Por isso, o melhor mesmo é analisar a relação custo-benefício do rótulo. Para tanto, você pode se basear em alguns critérios tais como:

  • tipo de uva;
  • safra;
  • país de origem;
  • tipo de reserva
  • valor de comercialização.




5) Aparência da garrafa


É importante ficar ao aspecto geral da garrafa ao comprar um vinho.


Alguns problemas podem indicar que o líquido está deteriorado, portanto, o seu sabor não poderá ser apreciado em sua expressão máxima.


Observe se a:

  • cápsula está lacrada – isso garante que o vinho não entrou em contato com o oxigênio precocemente;
  • rolha está preservada – qualquer rachadura pode fazer com que ela se esfarele sobre a bebida, adulterando o sabor;
  • garrafa está intacta –  uma trinca no vidro pode fazer com que o volume total da bebida seja menor que o esperado;
  • cor está normal – vinhos branco com aspecto amarelado ou tintos com coloração âmbar certamente passaram por um processo precoce de oxidação que torna seu consumo inviável.
  • Exposição à luz, ao sol ou ambiente com muito calor pode danificar o vinho ou espumantes.


Peça ajuda

Quem ainda tem pouco conhecimento sobre o mundo dos vinhos pode contar com apoio de um sommelier, profissional responsável por fazer a curadoria da carta de vinhos.


Restaurantes e wine bares costumam sempre oferecer este serviço.


Informe ao sommelier quanto pretende gastar na ocasião, quais pratos irá consumir, quais são seus tipos de uvas preferidas (caso já saiba) e peça para que ele lhe recomende algo.


Com certeza, ele fará uma escolha muito acertada com base no seu conhecimento técnico e você poderá desfrutar de uma boa taça de vinho!


Leave a Comment