Blog

Como escolher o melhor vinho para churrasco


Como escolher o melhor vinho para churrasco



Vinho para churrasco. Está uma das escolhas que pouca gente sabe fazer, mesmo que seja um apaixonado por carnes.


Apesar de assar carne ser um dos programas preferidos dos brasileiros aos fins de semana, sempre se estabeleceu no Brasil a combinação deste prato com cerveja.


Mas agora você vai entender como o vinho pode – e deve – ser apreciado junto com uma boa carne que vem da brasa.


Escolher um vinho para churrasco é uma tarefa relativamente simples para quem entende o funcionamento da harmonização.


Neste post, vamos explicar tudo o que você precisa sobre a escolha de rótulos para essa ocasião.


Continue lendo para saber mais.


Vinho ou cerveja: qual é a combinação ideal?

Tradicionalmente, a cerveja gelada é o par ideal para as carnes assadas na brasa. Contudo, algumas ocasiões pedem um pouco mais de requinte.


É o caso, por exemplo, de quem está organizando um churrasco para celebrar um momento marcante, como noivado, batizado, aniversário ou bodas. 


Servir vinhos para acompanhar os churrascos pode ser uma maneira de surpreender seus convidados e dar um ar mais sofisticado ao evento.


O vinho é um bom acompanhamento para carnes assadas devido aos taninos e acidez. Ou seja, à capacidade de limpar o excesso de gordura do paladar e preparar a boca para saborear todo o potencial do próximo prato.


Quando bem selecionado, o rótulo pode potencializar a experiência gastronômica durante o churrasco. Basta pensar com antecedência em quais carnes serão servidas para escolher rótulos que harmonizem com todos os cortes de carne.


Qual o melhor vinho para churrasco?

vinho para churrasco



Ao contrário do que alguns imaginam, não existe um tipo de uva universal para harmonizar com churrasco. É possível fazer combinações ousadas ou tradicionais, de acordo com a preferência do churrasqueiro.


Em geral, os vinhos tintos são boa pedida, pois tendem a ser mais encorpados. Logo, os taninos agem limpando o paladar e valorizando o aroma e o sabor das carnes assadas. 


Porém, é válido dizer que há opções para todos os gostos e bolsos, de acordo com as carnes servidas no churrasco.


Saiba qual é o tipo de rótulo ideal para cada corte:


Picanha

A estrela do churrasco é mais macia e suculenta e, normalmente, vem acompanhada por uma capa de gordura.


As características dessa carne podem ser potencializadas quando servida com vinhos tintos do tipo Malbec. Dê preferência àqueles que tenham taninos fortes e acidez marcante.


SUGESTÃO: Ramanegra Reserva Malbec – Bodega Casarena – Mendoza Lujàn de Cuyo.



Costela bovina

A costela bovina é muito consumida no sul do país. Quando bem preparada, é macia, gordurosa e com textura que derrete na boca.


A suculência dessa carne é perfeita para harmonização com vinhos da uva Sangiovese. Experimente regar a costela com molho barbecue para se deliciar ainda mais com o prato. 


SUGESTÃO: Castello di Bossi Chianti – Bacci Wines – Chianti – Toscana, Itália.



Costela suína

A costela de porco também tende a ser um pouco mais gordurosa. Geralmente, é temperada com ervas aromáticas, que aumentam o seu potencial de sabor.


Essa carne branca pode ser bem acompanhada com uma taça de vinho tinto de corpo e acidez médias e aromas de especiarias e pimentas.


Os rótulos regionais espanhóis de Ribera del Duero são uma boa escolha neste caso. 


SUGESTÃO: Disco – Tempranillo – Bodegas Neo.



Contra Filé

O contra filé também é encontrado no mercado com outros nomes: chuleta, bife ancho e bife de chorizo. O que difere cada um deles é o tipo de corte desta parte do boi.


Independentemente de qual dessas peças for eleita, essa é uma carne bem suculenta e com fibrosidade controlada.


O sabor do contra filé combina bem com vinhos de taninos e acidez equilibrados, como é o caso das garrafas de Cabernet. 


SUGESTÃO: Ramanegra Cabernet Sauvignon – Bodega Casarena – Mendoza – Lujàn de Cuyo. 



Linguiça

Quem gosta de uma boa linguiça assada na brasa também pode se deliciar da combinação com vinho.


Esse tipo de embutido pode ser harmonizado com uma taça de espumante rosé brut. Sirva a bebida gelada para aproveitar toda a efervescência das suas bolhas.


SUGESTÃO: Espumante Vino! – Serra Gaúcha, Quinta DOm Bonifácio.



Frango

Há quem diga que em um churrasco não pode faltar carne branca. Por isso, para essas pessoas há possibilidade de equilibrar a gordura suave da pele do frango com uma garrafa de sauvignon blanc.


Agora, se a escolha for servir coração de frango, a sugestão é combiná-lo com um belo pinot noir.


SUGESTÃO: Vistalago Pinot Noir – Valle Del Maule – Rafael Tirado Wines.



Fraldinha

A fraldinha é uma carne que tem como características ser fibrosa, macia e com baixo teor de gordura.


Essa carne é perfeita para quem gosta de vinhos blend.


SUGESTÃO: Alento tinto – Adega do Monte Branco, Estremoz – Portugal.



Carnes exóticas

Quem tem um paladar mais ousado e gosta de carnes exóticas, como coelho, javali ou carneiro, também pode se divertir no universo dos vinhos.

Esse tipo de churrasco, normalmente, tem sabor mais marcante e intenso, o que exige mais cuidado na hora da harmonização.


Estas são carnes que necessitam de vinhos mais complexos e maduros para revelarem todo o seu potencial. Os Brunellos di Montalcino, rótulos regionais italianos, são a combinação ideal para os amantes desses tipos de cortes.


SUGESTÃO: Renieri – Brunello de Montacino – Bacci Wines

Castello di Bossi – Chianti Clássico – Bacci Wines – Italia.


Dicas para servir bem

Além de escolher os rótulos conforme o cardápio, você ainda deve se preocupar em servir bem os convidados durante o churrasco.


Veja algumas dicas para evitar erros:


Calcule a quantidade certa

Depois de definir quais serão os cortes servidos no churrasco, é hora de fazer a lista de convidados.


Caso o anfitrião opte por servir apenas vinho tinto na festa, é necessário comprar meia garrafa para cada pessoa.


Já se haverá vinhos e espumantes, o cálculo é de uma garrafa de tinto para cada 3 pessoas e um rótulo de espumante a cada 4 convidados.


Regule a temperatura dos vinhos

Um vinho muito quente ou extremamente gelado perde seu sabor e seus aromas e deixa de apresentar seu potencial. Portanto, é preciso controlar a temperatura para que cada tipo de uva revele seu poder ao máximo.


Garrafas de tinto devem ser servidas entre 14º e 18º. Já os brancos podem chegar à mesa entre 6º e 12º. Por fim, os espumantes podem ser acompanhados por uma champanheira, à 4º a 10º de temperatura. 


Conclusão

Até mesmo quem está se iniciando no universo da enologia pode se deliciar com a escolha de um bom vinho para churrasco.


Na próxima ocasião, que tal deixar a cervejinha de lado e se aventurar na escolha dos rótulos? Além de variar o evento do fim de semana, há ainda a possibilidade de ser surpreendido por uma experiência única para o paladar.


Caso a escolha seja experimentar uma boa carne grelhada em um restaurante, é possível selecionar uma opção saborosa dentre a carta de vinhos. Um sommelier pode auxiliá-lo na decisão, se ainda restar alguma dúvida.

Gostou das dicas? Que tal fazer a sua reserva para o próximo fim de semana e colocar na prática tudo o que ensinamos aqui? Conheça nossas casas


Leave a Comment